Artigos Técnicos

Artigos de autoria do Eng. Adeval Antonio Meneghesso, diretor superintendente da Italtecno do Brasil, publicados na Revista Corrosão & Proteção, um veículo de comunicação da Associação Brasileira de Corrosão – ABRACO, editada pela Aporte Editorial que autorizou a divulgação do compêndio publicado de 2006 a 2009.

Contato com o autor
Eng. Adeval Antonio Meneghesso

A segunda parte deste artigo contempla a etapa de anodização, evidenciando o mecanismo de formação de camada anódica e seu comportamento técnico.

5ª Etapa – Anodização Anodização é um processo eletrolítico ou eletroquímico (fig. 1), que promove a formação de uma camada controlada e uniforme de óxido na superfície do alumínio. A anodização pode ser explicada pela reação química:

4 Al + 3 O2 ➠ 2 Al2O3

Estrutura da Camada Anódica

A estrutura da camada anódica é constituída por células hexagonais, (Fig. 2), cada uma delas com um poro central. No fundo dos poros forma-se uma fina camada barreira, que separa o óxido em formação do alumínio. Essencialmente, o tamanho das células é determinado pela voltagem, enquanto a espessura da camada é determinada pelo número de Coulomb que passam através dela (relação corrente x tempo). As características da camada anódica dependem do tamanho e do volume dos poros e estão diretamente ligadas à remoção do calor gerado no processo…

Clique para ver o artigo completo

Efeitos decorativos sobre a superfície do alumínio podem ser realizados pela eletrodeposição de ions metálicos no interior dos poros

6ª Etapa – Coloração

Eletrolítica da Camada de Anodização

O SISTEMA DE COLORAÇÃO eletrolítica é muito usado no momento e consiste na obtenção de uma camada anódica de óxido produzida pelos métodos convencionais com ácido sulfúrico, com um subsequente tratamento eletrolítico em uma solução ácida (ou levemente ácida) de um sal de metal, normalmente através do uso de corrente alternada.

Clique para ver o artigo completo

Processos mais comuns de eletrocoloração da camada de anodização que utilizam íons metálicos de Sn, Ni e Co para esse fim.

ESTA PARTE DO ARTIGO trata do processo de eletrocoloração da camada de anodização, utilizando para essa finalidade íons de Estanho metálico.

Mecanismo da Coloração Eletrolítica Do ponto de vista prático, tem sido demonstrado que a coloração é obtida pela deposição de partículas de metal no fundo dosporos da camada de óxido. A intensidade da cor é função da difusão da luz na camada de óxido que contém partículas de metal em seus poros. Quanto maior o tempo de coloração, maior será a deposição de metal nos poros da camada de óxido e, consequentemente, a intensidade da cor será mais escura, devido a menor reflexão da luz. Esta é a razão pela qual os vários metais usados (Sn2+, Ni2+, Co2+) proporcionam quase a mesma faixa de cores, que vai do bronze claro até o preto, com exceção do cobre, que tem sua própria tonalidade intrínseca (vermelha) e que proporciona cores que vão do rosa ao grená até a cor preta.

Clique para ver o artigo completo

Esta parte do artigo irá tratar dos processos mais comuns de eletrocoloração da camada de anodização, que utilizam íons metálicos de Sn, Ni e Co e outros.

6ª Etapa – Coloração Eletrolítica da Camada de Anodização com sais de Níquel.

Este processo é muito utilizado no Japão, de onde procede a maior quantidade de literatura a respeito do assunto.

Clique para ver o artigo completo

ESCRITÓRIO


FÁBRICA